Rubén Ruzafa em busca de seu quarto campeonato mundial XTERRA

O campeão espanhol se prepara para o evento principal da temporada XTERRA

El Campeonato Mundial XTERRA após 25 anos, passará do Havaí para a Europa, às margens do Lago Molveno (Itália), nas Dolomitas.

“Esta corrida será muito especial para mim: a primeira vez na Europa, perto de casa, é emocionante.

Eu me sinto em forma e pronto para lutar pelo título«. Estas foram as palavras de quem se prepara para enfrentar o primeiro Campeonato Mundial de XTERRA longe das praias de Maui.

No dia 1º de outubro, às margens do Lago Molveno, cercado pelas Dolomitas de Brenta, patrimônio da UNESCO, os melhores atletas do mundo se encontrarão lutando pelo título mais cobiçado da temporada na especialidade Cros Triathlon.

O 4 vezes Campeão Mundial ITU Cross Triathlon e 3 vezes Campeão Mundial XTERRA, atualmente em segundo lugar no ranking mundial, está entre os favoritos para a vitória final, mas terá que enfrentar o imparável Arthur Serrieres.

«Ele está em um grande momento, fazendo uma temporada especial, e se preparou muito bem em altitude. Mas Félix e Arthur Forissier também são rivais formidáveis, como Jens Emil, Chane ou Kocar.

Eu amo Molven. As vistas de lá são incríveis. Para mim, nadar cercado por montanhas de 3000 metros é uma experiência única.

Além disso, a comida e as pessoas são especiais e você pode respirar o ar puro da altitude. Além disso, a área está bem equipada para mountain bike, caminhadas e muitos esportes de aventura.

É um dos melhores lugares para o Campeonato Mundial XTERRA.

Toda a corrida ocorre entre 800 e 1300 metros. Será fundamental ir bem na natação e principalmente na parte da bike, a mais difícil, com duas subidas e descidas longas e íngremes.

A corrida está linda e sei que vamos nos divertir correndo perto do lago e na mata. O clima lá é sempre imprevisível, com temperaturas entre 5 e 16 graus, bem diferentes do quente e úmido do Havaí.

Mas a atmosfera será espetacular. Muitos virão de toda a Europa e do mundo para desfrutar desta primeira final no continente.

Treinei em casa, no País Basco com uma preparação especial para esta prova mas, ao contrário de outras, não em altura.

Minha temporada de 2022 foi exatamente o que eu esperava. Tenho 38 anos e sinto que minha motivação agora é lutar nos eventos mais importantes do ano, o Campeonato Europeu e Mundial.

Ganhar uma medalha de bronze no XTERRA Europeans e o 5º lugar no ITU Worlds foi fantástico para mim. Agora estou ansioso para correr em Molveno e viver este momento histórico para o XTERRA".

A defender as cores espanholas estará também María Calleja, campeã espanhola de cross triathlon 2019, 5ª no XTERRA Nouvelle Aquitaine e sexta em Scanno (Itália).

Publicações Relacionadas

Botão Voltar ao topo