Roadsurfista
Óculos de natação Zoggs
Clube La Santa Vuelta ciclismo Lanzarote 2024

Consumir carboidratos com mais frequência retarda a fadiga em esportes de resistência?

Nossos amigos de Crown Sport Nutrition Este mês trazem-nos mais um artigo muito interessante para atletas de resistência.

É sobre como você pode retardar a fadiga em corredores através da ingestão de carboidratos durante o exercício, algo procurado e desejado por todos os treinadores e atletas.

Quando um atleta de resistência se coloca nas mãos de um treinador e de um nutricionista, estabelece-se uma série de objetivos onde o objetivo é retardar ao máximo o aparecimento da fadiga.

É do conhecimento de todos que tendo baixa ingestão de carboidratos pode afetar negativamente o desempenho esportivo em treino ou competição, por isso é importante ter algumas orientações para incorporar esses carboidratos durante o exercício.

Neste artigo, Crown nos falará sobre a importância do tempo de ingestão durante o exercício em atletas de resistência.

Para isso, eles se baseiam em pesquisa atual, por exemplo em um estudo realizado por Menzies e colaboradores (2020) onde o efeito que o ingestão frequente ou única de carboidratos durante o exercício físico.

Este estudo foi realizado com um desenho cruzado, um tipo de ensaio clínico em que todos os participantes recebem os mesmos tratamentos (dois ou mais), mas a ordem de administração depende do grupo ao qual pertencem de acordo com a atribuição aleatória.

Um total de 6 corredores altamente treinados foram submetidos aleatoriamente a 2 condições.

A primeira condição foi a ingestão única de carboidrato em que ingeriram 75g de sacarose após 75 minutos de corrida.

A segunda condição era tomar 15 ingestões de 5g de sacarose a cada 5 minutos de corrida.

Em ambas as condições, os atletas realizaram uma corrida prolongada até a exaustão.

No estudo, foi possível observar como a ingestão frequente e contínua de carboidratos trouxe diversos benefícios em termos de desempenho.

O tempo até a exaustão foi aumentado, a percepção subjetiva de esforço diminuiu e houve menor utilização de glicogênio muscular na corrida que realizaram.

Além disso, não foram observadas diferenças na oxidação de substratos energéticos durante o exercício físico (carboidratos e gorduras), nem nos níveis circulantes de glicose, lactato ou ácidos graxos livres.

Conclusão

A conclusão alcançada pelos pesquisadores foi que a ingestão frequente de carboidratos mantém os estoques de glicogênio e atrasa a fadiga em corredores, especialmente corredores de resistência.

Quanto ao que pode ser colocado em prática em treinos de resistência ou competições, como um IRONMAN, o a ingestão de carboidratos será direcionada para tentar tomá-los continuamente, nos valores estipulados pelo nutricionista/treinador durante toda a prova.

Também deve-se ter em mente que evite tomar todos os carboidratos em uma única dose.

Se esta estratégia for realizada em provas de resistência, será possível aumentar o desempenho neste tipo de disciplina.

Referência:

Menzies, C., Wood, M., Thomas, J., Hengist, A., Walhin, JP, Jones, R., Tsintzas, K., Gonzalez, JT, & Betts, JA (2020). A ingestão frequente de carboidratos reduz a depleção de glicogênio muscular e adia a fadiga em relação a um único bolus. Revista Internacional de Nutrição Esportiva e Metabolismo do Exercício, 30(3), 203-209.

Não há resultados anteriores.

Publicações Relacionadas

Botão Voltar ao topo